Vacinação - Prevenir ou Remediar?

Vacinação – Melhor prevenir do que remediar

Vacinação – Melhor prevenir do que remediar
5 (100%) 1 vote

O final de ano está chegando e, com ele, vem a época de viagens e passeios em família – o que inclui os pets! Já falamos sobre a importância das vacinação em viagens com pet de qualquer tipo, seja dentro ou fora do país.

Os esquemas de vacinação, certamente, são a maior dúvida após a adoção ou compra de um filhotinho.

Em primeiro lugar, é necessário um exame clínico feito pelo médico veterinário compreendendo diversos pontos, tais como aferição de temperatura, aspecto da pele e se há lesões, presença de ectoparasitos (pulga e carrapato), ausculta cardíaca e pulmonar. É importante ressaltar que o cão só pode ser vacinado, seja ele de qualquer idade, se estiver saudável.

Cães com problemas de pele, parasitados, desnutridos ou com alguma doença infecciosa em curso não podem ser vacinados.

Portanto, antes de iniciar o protocolo vacinal, é necessário vermifugar o filhote com pelo menos 2 doses com intervalo de 15 dias.

Enquanto os filhotes de cães e gatos estiverem fazendo esquema de vacinação, o ideal é evitar passeios e principalmente o contato com outros animais. “Nesta fase da vida, o sistema imunológico deles não está totalmente desenvolvido, deixando-os vulneráveis a contrair doenças”, afirma o médico veterinário da Pet Center Canoas, Guilherme Cirino.

Os banhos em petshop também não estão recomendados neste período. Mesmo que o animal já tenha sido vacinado com uma dose, a imunização completa só se dá após 21 dias da terceira dose da vacina polivalente.

Como funciona a vacinação?

Antes de mais nada, é importante entender para que serve uma vacina de cachorro.

Produzida a partir das bactérias ou dos vírus atenuados que causam determinada doença, elas são um método de imunização bastante seguro. Sua forma de ação é simples: induzem o organismo a produzir sua própria defesa (em vez de entregá-la já pronta). Os efeitos colaterais existem, mas são raros. As reações mais frequentes são febre, edema na região onde foi aplicada e sensação de desânimo (prostração).

Pergunte ao veterinário quais as vacinas obrigatórias para o seu pet

Você se lembra do ditado “é melhor prevenir do que remediar”? Pois ele é verdadeiro também nesse caso.

Vacinando o seu pet, além de dinheiro, você economizará horas de sofrimento para você e seu peludo. Muitas das doenças que a vacinação evita são extremamente perigosas.

A vacinação é apenas importante para que o seu amigo de quatro patas se mantenha saudável e também para que certas doenças que ele possa contrair não afetem você ou seu grupo familiar (zoonoses).

Em cães são duas doses da vacina contra a gripe, e a primeira normalmente é feita junto com a terceira polivalente, em média pelos 87 dias de idade do cão.

“A Polivalente sempre é a vacina que começamos na Pet Center Canoas, por proteger contra as doenças mais perigosas (parvovirose e cinomose)”, explica Guilherme.

Meu pet precisa tomar a vacina da gripe?

Antes de chegar a uma decisão sobre o seu cachorro tomar ou não a vacina, é preciso lembrar que essa é uma doença passada somente de cão para cão.

Isso ajuda a perceber que os animais que mais precisam da profilaxia são aqueles que vivem em situação de risco, ou seja, rodeado por outros cãezinhos.

Se o seu amigão sempre fica em hotéis caninos ou costuma passear em parques cheios de outros cachorros a vacina pode até ser uma boa ideia. O mesmo não acontece com aquele pet que vive no sítio ou com o que tem um quintal inteiro só para ele, já que estão potencialmente fora de áreas de risco.

A única pessoa que vai poder dizer com certeza se o cão precisa ou não da vacina de gripe é o médico veterinário. Ele vai avaliar as condições de vida do animal e até mesmo as chances dele ter alguma reação, já que as raças pequenas costumam sofrer mais com efeitos colaterais como vômito e diarreia.

Nos gatos, a “gripe” deles é chamada de complexo respiratório viral (causado por herpesvirus e calicivirus).

A vacina que protege é a polivalente. Na Pet Center Canoas, é sempre indicada aos clientes a quíntupla (herpesvirus, calicivirus, virus da panleucopenia, clamidiose e FELV). A recomendação é fazer duas doses.

Protocolo pediátrico Pet Center Canoas

Confira como é seguido o protocolo pediátrico na Pet Center Canoas para início das vacinações.

Vacinação em Cães:

  •  45 dias: 1º polivalente
  •  66 dias: 2º polivalente
  •  87 dias: 3º polivalente + 1º gripe
  •  108 dias: 2º gripe + 1º giardia
  •  129 dias: 2º giardia + raiva (4 MESES)
  •  150 dias: teste leishmaniose, caso negativo 1º leishmaniose
  •  171 dias: 2º leishmaniose
  •  192 dias: 3º leishmaniose
  •  213 dias: avaliação para castração

Vacinação em Gatos:

  • 60 dias: 1º quíntupla
  • 90 dias: 2º quíntupla
  • 120 dias: raiva
  • 180 dias: avaliação para castração

Tem problema atrasar a vacina do cachorro?

Sim. A imunização completa deve ser feita dentro do período recomendado. Caso isso não aconteça, o animal é exposto a diversos riscos que poderiam ser facilmente prevenidos pela vacinação.

Mantenha a carteira de vacinas em dia e acompanhe de perto, com um veterinário, a saúde do seu cachorro. É preciso estar atento aos riscos. Como tem problema atrasar a vacina do cachorro, procure um profissional assim que perceber que as do seu pet não estão em dia.

Deixar a vacinação de lado o deixa vulnerável a doenças graves e fatais.

Pet Center Canoas Logo

Clinica Veterinária 24h em Canoas

Mais posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.