Março Amarelo - Doença Renal em Cães e Gatos

Doença renal em cães e gatos

Sim, cães e gatos também podem sofrer com doença renal. E a Doença Renal Crônica (DRC), uma das mais presentes nos pets, é caracterizada pela falha no funcionamento dos rins. É muito importante que os tutores saibam mais sobre a DRC, já que ela atinge um grande número animais.

Este é o mês de prevenção às doenças renais, chamado de Março Amarelo. Para alertar os tutores acerca dos cuidados e tratamentos, a médica veterinária Letícia Moreira, responsável pela especialidade de Nefrologia na Pet Center Canoas, explica sobre a progressão da doença e sobre como proporcionar mais qualidade de vida aos animais.

Fique atento à saúde dos rins do seu pet

Segundo Letícia, a doença renal crônica é uma condição decorrente de alteração na função renal que já vem ocorrendo há algum tempo. Sua manifestação é geralmente silenciosa. Quando o paciente apresenta alguma alteração mais evidente (falta de apetite, vômitos, diarreia e hálito muito forte) a doença já se encontra em um estado mais avançado. O sinal mais sutil que se apresenta antes é o aumento no volume de urina e no consumo de água.

A questão alimentar tem papel importante na evolução da doença renal. Segundo a médica veterinária Letícia, estudos mostram que uma adequação nutricional para o paciente que já tem diagnóstico de doença renal gera uma melhor qualidade e um maior tempo de vida. “A ingestão de água é muito importante também! Assim como para os seres humanos, para nossos pets o consumo de água é fundamental para manter uma boa saúde renal. Eles devem ser estimulados desde sempre ao consumo de água, com muitos potes de água no ambiente que eles frequentam, água corrente (como fontes) para os gatinhos e alimentação com rações úmidas são fundamentais”, explica.

Consulta com Especialista - Clique para agendar

Como é realizado o diagnóstico da doença renal

Existem algumas doenças renais que são hereditárias e o paciente pode nascer com essas alterações. Por esse motivo, não há idade específica para se realizar esse tipo de verificação, mas é aconselhado que mesmo pequeno, até mesmo na castração, seu pet faça exames de sangue, ecografia abdominal e exame de urina, assim já se terá realizado um check-up bem completo. O diagnóstico da doença é realizado através de exames de sangue, ecografia abdominal e exame de urina. Este último é muito importante no diagnóstico precoce da doença renal, e deve estar presente em todos os check-ups que seu amiguinho realizar.

Quais os tratamentos indicados

Conforme Letícia, a boa alimentação e boa hidratação são a base de tudo. “De fato existem algumas doenças que tem caráter genético e não podemos fazer nada para prevenir, mas ainda assim é importante manter o cuidado com a alimentação e a hidratação (aumentando o consumo de água e rações úmidas). Assim, mesmo tendo uma doença renal, o paciente viverá mais e melhor”, explicou.

A hemodiálise também é usada como tratamento, no entanto, tem orientações diferentes da medicina humana. Os pacientes humanos que possuem alterações renais mais importantes deixam de urinar, por isso precisam de auxílio para eliminar todo esse excesso de líquido e metabólitos (precisam realizar processos dialíticos). Já nossos amigos de quatro patas, pelo contrário, apresentam uma doença renal com excesso de produção de urina. Ao invés de reter líquido, eles acabam desidratando por tanta formação de urina. Dessa forma, a indicação dos processos dialíticos na medicina veterinária não cabe a todos os pacientes que possuem disfunções renais.

Seu pet está apresentando sinais clínicos que podem indicar a presença de uma doença renal? Entre em contato conosco e agende uma consulta. Ligue (51) 3427-3832 ou envie uma mensagem para o WhatsApp (51) 98206-3018.

Mais posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.