Como aproveitar o calor com o seu pet

Como aproveitar o calor com seu pet com saúde, segurança e alegria

Férias, sol e muito calor. O verão inspira momentos descontraídos e de muitas brincadeiras com os pets em parques e praças. Contudo, apesar de todo esse clima de diversão, é preciso estar atento a alguns problemas típicos que essa época do ano traz aos peludinhos. Além de queimaduras causadas pelo sol e calos nas patas e na pele, estão algumas doenças transmitidas por mosquitos, pulgas e carrapatos, que comprometem a saúde dos pets, podendo, inclusive, levá-los ao óbito. Confira as principais doenças e como ficar longe delas.

Infestação por pulgas e carrapatos

Pulgas e carrapatos são um problema muito comum em cães e gatos, principalmente durante o verão, em que o calor e a umidade favorecem sua proliferação. Até mesmo aqueles pets que convivem pouco com outros animais estão suscetíveis a esses parasitas, que causam desde uma simples coceira até a transmissão de doenças infecciosas graves.

Num passeio, mesmo que rápido, pulgas jovens, que acabaram de sair de seus casulos, podem pular no animal e começar uma infestação rapidamente. Isto porque, após a alimentação e acasalamento, as fêmeas das pulgas podem depositar até 50 ovos por dia no hospedeiro. Esses ovos caem no ambiente onde o animal costuma passar a maior parte do tempo e, após maturação, liberam as larvas que se adaptam facilmente em locais como tapetes, caminhas e sofás.

Além da coceira e incômodo por conta da picada das pulgas ou carrapatos, os animais podem sofrer com doenças que colocam em risco sua saúde. A DAPE (dermatite alérgica à picada de pulga) é uma das alergias mais comuns nos cães e gatos. A saliva da pulga causa uma forte reação alérgica no animal desencadeando um prurido (coceira) muito intenso. Queda de pelos, feridas, descamação, piodermite e mal cheiro são sinais clínicos frequentes.

A pulgas também podem transmitir vermes ao cão ou gato. O mais comum é o Dipylidium caninum, que causa diarreia com muco e sangue. Os vermes têm aspecto de grãos de arroz quando encontrados mortos nas fezes ou pelos, próximos à região do ânus do animal. Em grandes quantidades, o verme pode causar ataques convulsivos, uma vez que secreta uma toxina que age sobre o sistema nervoso.

Já os carrapatos estão por trás da circulação de bactérias e protozoários. Transmitem a erlichiose e babesiose aos cães e a hemobartonelose aos gatos. Essas são moléstias parasitárias popularmente conhecida como “doença do carrapato”. Podem evoluir com apatia, falta de apetite, hemorragias e anemias sérias.

Mantenha as consultas em dia com o veterinário para que ele possa orientar você na escolha do melhor método preventivo para o seu amigo.

Quais são os sintomas de infecção intestinal em cachorro?

Os problemas intestinais em cães podem estar relacionados a inúmeros motivos, mas na maioria das vezes o motivo é a comida. E o calor pode ser um grande aliado para estes problemas se manifestarem. Comidas inadequadas, em excesso e intolerância a certos alimentos podem causar grandes problemas no intestino de seu amigo. A infecção intestinal geralmente é causada por vírus de tipos diversos e ocasionalmente por bactérias ou vermes. Esses micróbios atingem o organismo através da ingestão de alimentos e água contaminados, se alojam e proliferam no tubo digestivo, provocando inflamação e sintomas.

Se os sinais de infecção intestinal ocorrerem com o seu cão ou gato, é essencial saber reconhecê-los e ter em mente o que fazer, evitando que o seu bichinho sofra.

  • Dores intestinais — a inflamação deixa o órgão sensível e a própria movimentação do animal pode causar incômodo.
  • Perda de apetite — o cachorro não quer comer e deixa de beber água. Esse quadro merece atenção principalmente quando ele apresenta diarreia e vômito, pois pode causar uma desidratação.
  • Diarreia — com o intestino inflamado, o processo de digestão não acontece normalmente e a possível presença de parasitas e bactérias no trato intestinal podem levar à diarreia.
  • Vômito — pode se apresentar em casos em que existe algo obstruindo o intestino.
  • Sonolência — o animal se isola, passando mais tempo dormindo e quieto.

Como o banho terapêutico pode ajudar seu pet no calor

Muito mais comum no verão, a dermatite alérgica é caracterizada por feridas na pele, com muita coceira, dor e incômodo no local. Podem ser causadas por insetos, como pulgas e carrapatos, por parasitas, como fungos ou bactérias, produtos químicos e até mesmo por alguns tipos tecidos.

Em geral, as raças mais peludas são as mais propensas, pois os pelos deixam a pele mais seca e, consequentemente, mais sensível à partícula ou substância que causa alergia no animal.

Os principais sinais clínicos são: coceira, perda de pelos, machucados, inflamações na pele, ardor e incômodo no local. Cães que apresentam uma secreção excessiva nos olhos e inflamações recorrentes no ouvido também podem estar apresentando sinais de dermatite.

Nestes casos, o banho terapêutico é o mais indicado para combater as dermatites alérgicas, por ser realizado com as técnicas corretas e produtos que contribuem com a saúde da pele dos cães e gatos.

Assista o vídeo e saiba mais sobre os banhos terapêuticos:

Mais posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.