Efeitos dos fogos de artifício nos pets

Efeitos dos fogos de artifício nos pets

O medo de fogos de artifício é uma fobia muito comum nos animais, principalmente nos cães. As festas de final de ano são um período temido por donos e pelos animais.

Natal e Ano Novo estão chegando e, para comemorar, as pessoas costumam soltar rojões e fogos de artifício.

A queima de fogos é encarada como uma forma de celebração. Mas, cães, gatos, animais domesticados e silvestres de modo geral, bebês e crianças pequenas, e até muitos adultos, costumam detestar o barulho causado pela queima de fogos.

O desespero que os bichinhos sentem é tanto que cometem atos que nunca imaginaríamos possíveis: conseguem saltar muros que antes eram inalcançáveis, arrebentam portões, tentam atravessar portas de vidro, batem com a cabeça contra grades ou paredes, atiram-se pela janela, enforcam-se na própria coleira/corrente tentando rompê-la, tornam-se agressivos com outros animais e até com o próprio tutor. E quando realmente conseguem fugir, perdem-se e ainda correm o risco de atropelamento, podendo além de tudo causar acidentes graves.

Mas por que será que eles se assustam tanto? Vamos explicar para que você entenda o motivo desses fogos fazerem mal aos seus pets.

A primeira coisa a saber é como funciona o sistema auditivo de um cachorro. Em geral, os cães possuem uma audição quatro vezes mais potente do que a dos seres humanos. Sendo assim, fica fácil entender porque se assustam tanto. Se para nós o barulho já é alto, imagine para eles.

Audição dos pets

O ouvido de um cão é capaz de perceber sons com frequência de até 100 000 hertz enquanto que o do homem registra ruídos de, no máximo, 20 000 hertz. Hertz é a unidade de frequência que indica o número de vezes que uma onda vibra por segundo. Os cachorros são capazes de detectar sons cerca de quatro vezes mais distantes que o homem. Tal capacidade se dá por inúmeros motivos, entre elas a evolução da espécie.

Os seres humanos possuem os olhos posicionados bem no centro da face. Nos cães, eles ficam mais nas laterais. Por isso, eles dependem mais da audição para se situar, para que compense o campo reduzido de visão.

Neste sentido, cuidar para que seu cão não sofra com o barulho dos fogos de artifício, é extremamente importante para sua saúde. Caso tenha dificuldades, peça recomendação a um médico veterinário. Ele lhe explicará como proceder corretamente para que você e seu animalzinho de estimação não passem por situações de estresse.

Aqueles animais que não são acostumados com sons intensos e frequentes acabam tendo uma reação bem assustadora quando ouvem barulho de fogos de artifício. Outros demonstram apenas um incômodo, mas há ainda os que podem acabar entrando em pânico.

Assim como os cães, gatos também podem apresentar comportamentos negativos, como tremores, tentativa de fuga, micção e defecação em locais inapropriados, dentre outros.

Consequências

Alguns cães acabam fugindo e se perdendo no momento de desespero, podendo ser atropelados e até mesmo ter convulsões em consequência do medo. Neste contexto, prevenir é o melhor remédio, para evitar o sofrimento de ambos (tanto do cachorro quanto do tutor).

Por isso, é importante atenção redobrada! É provável que o tutor perceba rapidamente quando seu pet estiver sofrendo com a intensidade dos sons. Até porque ele mudará de comportamento ao ser exposto a algum tipo de barulho. Verifique se ele está tremendo, se ele ataca objetos, se tenta fugir ou se esconder, por exemplo. Esses são alguns sinais que demonstram o pavor do bichinho em relação aos fogos de artifício.

Além disso, o comportamento do tutor tem papel fundamental na forma como o animal vai encarar esse desafio. O dono deve ter cuidado para não reforçar o medo, mas passar confiança e tranquilidade na hora de se comunicar com o animal de estimação, buscando agir sempre com naturalidade.

A responsabilidade de deixar seu pet em segurança é única e exclusivamente sua. A atitude que transmite confiança a ele também é essencial.

Agora você já sabe porque os fogos de artifício fazem tão mal aos cachorros. Fique ligado nas nossas dicas e aproveite as festas de final de ano em sintonia com seu pet:

– Coloque uma placa de identificação no seu cão ou gato

Não apenas nessa época do ano, mas esta é uma medida a ser feita sempre, pois caso seu pet fuja, com medo dos fogos de artifício, ele poderá ser encontrado com maior facilidade.

– Acomode o pet em lugar seguro e fechado

Animais que ficam em quintais devem, se possível, ser levados para dentro de casa e mantidos sem correntes ou coleiras. Eles podem se ferir no momento de medo. Escolha um cômodo que possa ficar fechado, isolado na casa e com pouca interferência do barulho de ambientes externos. Deixe que o animal procure um local da casa em que se sinta protegido.

– Feche portas e janelas

Evite a fuga do seu pet! Contudo, jamais deixe o seu pet preso a cordas ou correntes, pois ele pode acabar se enforcando em função do pânico. O ideal é deixá-lo em um recinto fechado, sem coleiras ou guia.

– Ofereça alimentos leves

Distúrbios digestivos provocados pelo pânico podem até matar o seu cão ou gato, como a torção de estômago. Portanto, evite oferecer alimentos pesados, além de ter atenção ao que o seu pet pode ou não comer.

– Separe os cães

Não deixe muitos cães juntos, pois irritados pelo barulho podem brigar até causar um acidente mais grave. Tente deixá-los em quartos separados na hora dos fogos.

– Refúgios

Para quem tem gatos, uma boa dica é deixar armários com as portas abertas para que eles encontrem espaços tranquilos onde se esconder. Cães também costumam ficar embaixo de camas. Deixe-os escondidos e não tente tirá-los do local escolhido.

– Sem estresse

Evite passar a sua tensão para o animal. Há donos que os colocam no colo e ficam nervosos com a possibilidade do estresse do cão e do gato. Isso só intensifica o medo do animal.

– Fique em casa

Jamais leve os animais para passear durante a queima de fogos. Com o medo do barulho, eles podem ter dificuldades de urinar ou defecar.

– Desensibilize

Desde filhote, ajude-o a compreender que o barulho passa e que nada de ruim vai acontecer. Porém, evite mimá-lo nos momentos de fogos, pois desfazer o comportamento de medo no animal adulto é mais difícil.

Fonte: https://www.ethosanimal.com.br/os-caes-e-os-fogos-de-artificio/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.